2 de março de 2011

Artistas paraibanos expõem obras em metal no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular


Artistas paraibanos expõem obras em metal no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular
O Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP) inaugurou no dia 1o. de março, terça-feira, às 17 horas, a exposição da Sala do Artista Popular A ferro e fogo: Arte na Paraíba, com venda de trabalhos dos artistas João José do Nascimento Neto, da cidade de Itabaiana, João de Deus Cavalcante e Humberto Heleno da Silva, de João Pessoa, e Joaquim David da Silva Neto, de Araçagi. A mostra fica em cartaz até 10 de abril e conta com o patrocínio da Caixa Econômica Federal.
Os artistas  utilizam restos e sucatas do aço, flandres e ferro, que se transformam em brinquedos - caminhões, motos, carros, robôs -, luminárias em miniatura e esculturas, entre outras criações. O rico repertório desse artesanato de reciclagem é criado a partir da própria experiência de vida dos artistas.
Exímios carpinteiros, marceneiros, mecânicos e serralheiros, descobrem-se também como artesãos, escultores de figuras, imagens e outras invenções do cotidiano. Ao utilizarem  materiais que seriam descartados, os artistas contribuem à sua maneira para uma política de sustentabilidade, fato que  inclusive agrega valor e promove suas obras.
João José do Nascimento Neto, conhecido como João de Oliva, produz caminhões de brinquedo feitos com madeira, latas e outros materiais. Juntamente com outros artesãos, criou uma cooperativa, passando a ensinar jovens interessados e a participar de exposições. Hoje recebe muitas encomendas.
Mecânico de profissão, João de Deus Cavalcante utiliza sucata de automóvel, de bicicleta e outros materiais. Faz motos, carros e tanques de guerra em miniatura, luminárias, animais diversos e outras peças, que variam de 10 cm a um metro de altura. Dom Quixote é um dos personagens que mais aprecia criar.
Em sua oficina, Humberto Heleno da Silva  trabalha com ferro e alumínio na produção de suas peças. Gosta de inovar sempre, procurando não repetir o repertório. Flores, quadros, cabideiros, lustres e abajures estão entre os objetos que fabrica.
"Joca dos Galos", como é conhecido Joaquim David da Silva Neto, pois foi criador de galos de raça, utiliza pedaços de lata na produção de suas peças, entre as quais destacam-se galos, araras, papagaios e cobras. Um camaleão de sua autoria integra hoje o acervo da Casa do Artista Popular, em João Pessoa. Já participou de mostras no Rio de Janeiro e Brasília e de salões em Campina Grande e na capital paraibana.

Sobre o CNFCPO Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular é uma unidade especial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), sendo responsável por promover ações que busquem, por meio de pesquisa e documentação, conhecer as realidades específicas em que ocorrem as mais diversas expressões do fazer brasileiro, procurando acompanhar as constantes transformações por que passam, bem como apoiar e difundir os processos culturais populares, propondo e conduzindo ações para sua valorização e difusão. Visite www.cnfcp.gov.br e conheça a instituição.


Serviço
Sala do Artista Popular: A ferro e fogo: arte na ParaíbaInauguração:  1o. de março de 2011, às 17 horas
Período: de 2 de março a 10 de abril de 2011
Exposição e venda: de terça a sexta-feira, das 11 às 18 horas. Sábados, domingos e feriados, das 15 às 18 horas.

fonte: IPHAN

Um comentário:

  1. Très joliment réalisé ce coq... de quoi pavaner en basse-cour !
    bisous

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.